VITALINA KOVAL Ucrânia

Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho

Vitalina Koval sempre quis marcar a diferença pela positiva e usa a sua energia contagiante para apoiar pessoas LGBTI na sua cidade natal, Uzhgorod, na Ucrânia. Mas tanto ela como outros ativistas têm sido violentamente atacados por grupos de extrema direita, apenas por se manifestarem contra o discurso de ódio. A 8 de março de 2018, Vitalina organizou um protesto pacífico em defesa dos direitos das mulheres e direitos LGBTI para assinalar o Dia Internacional da Mulher. A polícia garantiu que tanto ela como os outros ativistas estariam em segurança. Nesse dia, aproximou-se um grupo que gritava insultos e atirou tinta vermelha sobre os manifestantes. Vitalina foi uma das pessoas atacadas e sofreu queimaduras químicas nos olhos. Os seus atacantes foram detidos por um curto período de tempo. Imediatamente a seguir, Vitalina e outros ativistas começaram a receber ameaças, e dois ativistas alegam que foram agredidos. Estes ataques fazem parte de uma ampla vaga de violência e intimidação por parte de grupos de extrema-direita, que alegam que os valores inclusivos que Vitalina defende não são “saudáveis”. Mas Vitalina e outros defensores de direitos humanos não vão ceder ao medo e ao ódio. Estamos do lado deles.

Assine e apele ao Ministro do Interior na Ucrânia que proteja Vitalina e outros ativistas que defendem os direitos LGBTI e os direitos das mulheres.

 

VITALINA KOVAL

 

 

Em causa: Defensora de direitos humanos;

direitos LGBTI; direitos das mulheres;

liberdade de expressão; impunidade

ATACADA VIOLENTAMENTE POR

DEFENDER OS DIREITOS LGBTI