MARIELLE FRANCO Brasil

Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho

Marielle Franco lutou destemidamente por um Rio de Janeiro mais justo e seguro. Era uma conhecida vereadora municipal que cresceu nas favelas da cidade e que sempre defendeu os direitos de mulheres negras, pessoas LGBTI, jovens e condenava as execuções ilegais cometidas pela polícia. “Marielle personificava os direitos que defendia”, disse a sua parceira Mónica. Mas a 14 de março de 2018, Marielle foi morta a tiro no seu carro, em conjunto com o seu motorista, Anderson Pedro Gomes. As provas indicam que o assassinato foi perpetrado por profissionais treinados, e os peritos afirmam que as balas pertenciam à Polícia Federal do Brasil. O Brasil é um dos países mais mortais para defensores de direitos humanos como Marielle, com pelo menos 70 mortes em 2017. Por demasiadas vezes as mortes não são investigadas e os responsáveis continuam em liberdade. Consequentemente, as pessoas que defendem os direitos humanos vivem com um medo permanente. Juntos, podemos mostrar às autoridades brasileiras que não descansaremos até que seja feita justiça! Estas devem proteger os defensores de direitos humanos de ataques futuros e devem identificar quem matou Marielle. Tal como a sua irmã diz: “Enquanto tivermos força iremos exigir justiça.”

Exija ao Presidente do Brasil que seja feita justiça por Marielle! Todos os responsáveis devem ser apresentados à justiça e quem corajosamente denuncia as injustiças no Brasil deve ser protegido de ataques futuros.

 

MAREILLE FRANCO

 

 

Em causa: Defensora de direitos humanos;

discriminação; execuções ilegais; jovens

negros; direitos das mulheres; direitos

LGBTI; violência policial

ASSASSINADA POR DEFENDER OS JUNTOS

DIREITOS HUMANOS